top of page

PEATE (Curta Latência): Descubra como a latência e as formas de estímulos podem revelar achados

Atualizado: 17 de out. de 2023

Você já ouviu falar em Potenciais Evocados Auditivos Tronco Encefálicos (PEATE)?


Essa técnica é utilizada na área da neurofisiologia para avaliar a integridade das vias auditivas e pode fornecer informações valiosas sobre o funcionamento do sistema nervoso central. Neste artigo, vamos explorar o que é o PEATE (curta latência), como ele funciona e como a latência e as formas de estímulos podem ser indicadores cruciais.


Classificação dos potenciais evocados:

A classificação utilizada nos potenciais evocados é baseada na análise do domínio do tempo, mais especificamente na latência sendo caracterizada como:

  • Curta latência (até 10ms)

  • Média latência (de 10 a 80ms)

  • Longa latência (acima de 80ms)


PEATE curta, média e longa latência

O PEATE é um tipo de exame neurofisiológico não invasivo que mede a atividade elétrica gerada no tronco encefálico em resposta a estímulos sonoros. Essa técnica é especialmente útil na avaliação de pacientes com suspeita de perda auditiva, pois permite identificar se o problema está localizado no ouvido interno, no nervo auditivo ou no tronco encefálico.


Mas como exatamente o PEATE funciona?


Durante o exame, são colocados eletrodos na cabeça do paciente, que registram a atividade elétrica gerada em resposta aos estímulos sonoros. Esses estímulos são geralmente apresentados na forma de cliques ou tons, e o paciente pode ouvi-los através de fones de inserção, fone supra-aural ou vibrador ósseo.

Os eletrodos captam os sinais elétricos gerados pelas células nervosas do tronco encefálico em resposta aos estímulos, e esses sinais são amplificados no Neuro-Audio e registrados em um computador.


Fluxo para aquisição de exames na Eletrofisiologia

A latência dos estímulos é um dos principais parâmetros avaliado no PEATE. A latência é o tempo necessário para que o estímulo sonoro chegue ao tronco encefálico e gere uma resposta elétrica mensurável. Esse tempo pode variar de acordo com a integridade das vias auditivas, sendo que alterações na latência podem indicar problemas como lesões no nervo auditivo ou no tronco encefálico.


A análise da latência dos estímulos no PEATE pode fornecer informações importantes sobre a localização e a extensão de possíveis lesões. Por exemplo, se a latência dos estímulos estiver aumentada, isso pode indicar uma lesão no nervo auditivo. Já se a latência estiver normal, mas a amplitude dos potenciais evocados estiver reduzida, isso pode sugerir uma lesão no tronco encefálico.


Além da avaliação da latência dos estímulos, os PEATE também permitem analisar outros parâmetros, como a amplitude dos potenciais evocados e a morfologia das ondas geradas. Essas informações adicionais podem ajudar no diagnóstico de diferentes condições, como tumores cerebrais, esclerose múltipla e até mesmo distúrbios do sono.


Em resumo, os Potenciais Evocados Tronco Encefálicos são uma ferramenta importante na avaliação da audição e do funcionamento do sistema nervoso central. A análise da latência dos estímulos pode revelar informações cruciais sobre possíveis lesões no nervo auditivo ou no tronco encefálico, auxiliando no diagnóstico e no planejamento do tratamento. Portanto, se você suspeita de algum problema auditivo, não deixe de procurar um profissional capacitado para realizar os PEATE e obter um diagnóstico preciso.


Como realizar o PEATE?

Materiais necessários:


Etapas para realização do teste

  1. Deixe todos os materiais previamente separados

  2. Conecte seu Neuro-Audio às portas USB do seu computador

  3. Inicie o preparo da pele do seu paciente utilizando a gaze e a pasta escarificante

  4. Conecte seus eletrodos de botão em seus respectivos cabos

  5. Retire o plástico protetor dos eletrodos e posicione-os de acordo com a montagem mostrada abaixo

  6. Abra o protocolo de sua preferência

  7. Verifique a impedância através do atalho e garanta que esteja abaixo de 2 ohms

  8. Inspecione a Monitorização/EEG através do atalho para que consiga identificar se há muita interferência (que pode atrapalhar sua aquisição)

  9. Inicie a promediação/estimulação através do atalho e aguarde até que finalize.

9. Faça as estimulações em ambas orelhas. É importante ver a repetibilidade das ondas em cada intensidade.


Como deve ser realizada a montagem do PEATE?


O posicionamento dos eletrodos deve seguir o esquema desenvolvido na imagem abaixo. Os eletrodos ativos (-) podem ficar posicionados tanto na mastoide quanto no lóbulo do paciente. Já o eletrodo referência (+) deve estar posicionado no centro da testa unindo os positivos através do jumper. Quanto ao eletrodo terra, pode variar entre as posições FP1 e FP2 (seguindo o Sistema Internacional 10%-20%).


Montagem de eletrodos para PEATE no Neuro-Audio


O que devemos esperar ver após a aquisição?


As formas de onda, quando dentro da normalidade devem apresentar a morfologia mostrada na imagem abaixo.




Vale salientar que os parâmetros configurados em seu protocolo podem afetar diretamente a forma final com que sua onda se apresenta. Além disso, a depender da lesão e sua extensão, este formato e as latências podem se alterar de paciente para paciente.


As marcações comumente utilizas são:

Onda I -> Latência próxima a 1ms

Onda III -> Latência próxima a 3ms

Onda IV -> Latência próxima a 5ms


*Os valores de normalidade mudam de equipamento para equipamento, e/ou dependem única a exclusivamente da literatura que o profissional utiliza como base para montar seus protocolos.*


Dicas adicionais:

  • Faça uma boa preparação da pele do paciente, isso ajuda a melhorar a impedância.

  • Utilize eletrodos de qualidade.

  • Verifique sempre a monitorização/EEG antes de iniciar seus testes.

  • Garanta que o paciente esteja relaxado para que não tenha interferências miográficas.

  • Visite o artigo com valores de normalidade para PEATE click no Neuro-Audio


Diferenciais do Neuro-Audio no PEATE curta latência

  • Não precisa de tomadas aterradas, já que é alimentado pelas portas USB do notebook

  • Facilidade de Personalização de Protocolos

  • Visualização de Impedância através de leds dispostos no amplificador

  • Promediação Ponderada com utilização Algoritmos inteligentes (LMS)

  • O módulo acompanha todos os estímulos: Click, Chirp, Tone Burst, Chirp LS e Frequência Específica

  • Juntamente à este módulo, já está incluído média e longa latência, além do PEATE triagem.


Clique aqui e baixe o PDF que auxiliará a anotação de achados




Referências:

1. Latency and Interpeak Interval Values of Auditory Brainstem Response in 73 Individuals with Normal Hearing

2. Aula online - Pós Graduação em Eletrofisiologia e Eletroacústica Faculdade Inspirar - Profª Drª Caroline Donadon


3. Materiais adicionais acervo próprio e compilados encaminhados pela Neurosoft Rússia



637 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page